Presidente do Mogi Mirim diz que time não jogará mais a Série C

  • Jogadores do Ypiranga ficaram batendo bola no gramado. Mogi não foi para o jogo

    Caio Maciel / EPTV
  • O presidente do Mogi Mirim, Luiz Henrique de Oliveira, diz que a equipe deixará o campeonato

    Agência Futebol Interior

Atualizado às 20:45

A  14ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro foi aberta com um WO. O Mogi Mirim não foi a campo para enfrentar o Ypiranga neste sábado, em partida marcada para 15h30, no Estádio Vail Chaves, em Mogi Mirim. A decisão partiu dos jogadores do time paulista, que estão com salários atrasados (de um a três meses, dependendo da chegada ao clube) e se recusaram a atuar em forma de protesto contra a diretoria.

De acordo com o regulamento da CBF, o Ypiranga é declarado vencedor pelo placar de 3 a 0 e soma mais três pontos na luta pela classificação. O time gaúcho subiu ao campo e cumpriu todo o protocolo, assim como o trio de arbitragem, formado pelos maranhenses Paulo Sergio Santos Moreira (juiz), Antonio Fernando de Souza Santos e Antonio Adriano de Oliveira (assistentes). Eles esperaram 30 minutos até encerrar o jogo que não aconteceu.

Os jogadores do Mogi já tinham indicado que não jogariam horas antes, em nota divulgada pelo Sindicato dos Atletas Profissionais. Alguns atletas tomaram a decisão ao ver o presidente Luiz Henrique de Oliveira descumprir mais um prazo de pagamento. Eles esperavam receber parte dos atrasados na sexta, o que não aconteceu.

Pouco antes da partida deste sábado, alguns integrantes do elenco se reuniram com o presidente, mas não houve consenso. Após o encontro com o cartola, jogadores passaram pelo campo, desceram até o vestiário e foram embora do estádio. Em entrevista à Rádio Visão, de Mogi Mirim, o experiente meia Cristian, ex-Palmeiras e Ponte Preta, lamentou a situação.

A decisão

O Mogi Mirim está fora do Campeonato Brasileiro da Série C. Minutos após a decisão pelo W.O diante do Ypiranga, pela 14.ª rodada, o presidente Luiz Henrique de Oliveira afirmou que o time paulista deixará a competição antes do término da primeira fase.

O dirigente afirmou não ter condições de quitar a dívida com o elenco. Mais do que isso, não encontra parceiros para ajudar o clube a ao menos terminar a competição. A decisão veio após reunião com demais dirigentes, além dos atletas terem exigido o pagamento da dívida para voltar a atuar com a camisa alvirrubra.

Punições

Com a desistência no campeonato, o Mogi Mirim será automaticamente rebaixado e deverá sofrer fortes punições do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Momento delicado do time paulista, que entrou em decadência nos últimos anos.

 

 

Compartilhar

Comentários